Orlando: Direto ao Ponto - Parte 1

Por Fabiana Telles | País:Estados Unidos
Procurando voos para Orlando? clique aqui | Procurando hoteis em Orlando? clique aqui

Antes de qualquer coisa: A Disney está em Orlando e não o inverso. Sim, por incrível que pareça eu e muita gente pensa (ou pensava) assim, se esquecendo que antes de mais nada existe uma cidade em Orlando formada por pessoas normais e não só por Michey, Minie, Pateta e afins.  Uma cidade que irá te proporcionar experiências muito bacanas. E olha que não estou falando necessariamente de shoppings e outlets. Outra dica interessante são as cidades ao redor de Orlando como Lake Mary. Citada pela CNN como a pequena cidade número 1 em qualidade de vida nos Estados Unidos, Lake Mary vale a visita. O estilo tranquilo, interiorano, rodeada de verde e lagos traz uma sensação super agradável. A cidade chega a lembrar a Hill Valley de “De Volta para o Futuro” (a do primeiro filme), lembram? O Lake Eola Park também é uma boa descoberta fora parques. A grande área verde no centro da cidade, é rodeada pelo lago Eola e serve como referência para os moradores da cidade. O parque oferece boas opções para relaxar como pedalinhos, gôndolas e parquinhos infantis. Boa (e barata) opção para famílias com filhos e casais de namorados.

Ok, ok mas e os parques? Bom, vamos a algumas dicas gerais.

 – Obviamente chegue cedo e dê preferência para visitá-los em dias da semana.

– Você pode entrar com pequenos lanches e bebidas dentro das mochilas nos parques. Mas tenha em mente que na entrada de todos os parques tem sempre duas filas. Uma para revistar mochilas e outra para quem não está com mochila passar direto. A primeira é sempre bem mais cheia.

– Todos os parques são repletos de áreas de alimentação com perfis diversos. Têm restaurantes baratos e caros além da opção do velho e bom cachorro quente.

– Primeiro passo ao entrar. Buscar o mapa do parque. Não domina o inglês? Procure por um mapa em português, mas se tem noção boa do inglês vá com o mapa original mesmo. Será sempre o mais atualizado.  

– Não se empolgue logo de início. Perca uns 20 minutos estudando o mapa. Confira horários de atrações, distâncias e monte um roteiro na sua cabeça. Parece banal, mas ninguém faz isso e com certeza otimiza a experiência além de diminuir o desgaste.

– Diversos hotéis oferecem transfers para os parques. Sei que isso é muito pessoal, mas evite-os. Os transfers sempre partem depois que o parque já abriu e voltam antes dele fechar ou seja, você vai perder hora útil e ainda corre o risco de perder a hora lá dentro (muito fácil de acontecer) e ainda ficar na mão por ter perdido o transfer. Minha opinião: Se alugou carro, vai de carro. Paga lá a taxa de estacionamento (é salgada eu sei, mas é melhor assim) de um dos parques e fique mais tranquilo. Não serão U$S10 ou U$S15 que irão salvar sua viagem.

–Vá de tênis, roupas confortáveis, boné e leve o filtro solar. Se for levar mochila, leve uma muda a mais de camiseta ou blusa para trocar caso se molhe demais em alguns brinquedos e não tenha paciência para esperar secar.


– Repita comigo, FAST PASS, FAST PASS, FAST PASS. Faça sempre uso do FAST PASS, principalmente se o parque estiver cheio. Ele consiste em você programar um horário para curtir o brinquedo e, voltar sem a fila que normalmente pode ter. “Ah mas e o prazer de curtir ao lado da minha esposa/filho/namorada?”, então respira fundo e aguenta as filas.

– Tem pouco tempo para curtir parques? A Universal tem dois parques e sim, dá para curtir os dois em um dia só. Mas na Disney são seis (contando com os dois aquáticos), ou seja, inviável. Com muito esforço você conseguirá fazer dois por dia.

 – Os deslocamentos dentro do complexo Disney (entre os parques) podem ser feitos via Monotrilho ou ônibus. Em muitos casos você precisará pegar os dois para chegar ao destino. Outra opção são os barcos/ferrybots. Todos são de graça.

– O foco da sua viagem são os parques da Disney? Então considere se hospedar em Kassimee. É uma cidade vizinha a Orlando e fica próxima ao Magic Kingdom, além de ter preços muito bons para hospedagem. Aliás, Orlando assim como Las Vegas, tem preços ótimos para hospedagem.

– Dentro da área Disney há resorts e hotéis próprios. São mais caros que os da cidade mas a maioria pode te proporcionar alguns confortos como entrega das compras no quarto (sem que você precisa carregar sacola durante seu dia no quarto) e horas extras depois do fechamento para você curtir.

–  Estacionou seu carro alugado em algum dos estacionamentos gigantes dos parques? Tira foto ou anota num papel o local exato onde você o deixou. É muito comum depois de um dia inteiro não lembrar onde você deixou o carro.

Gostou? Em breve trarei a segunda parte desse arquivo com mais dicas sobre os parques, brinquedos imperdíveis e muito mais sobre Orlando. Não percam.  

Fabiana Telles mora em São Paulo e adora se aventurar pelo mundo.

Pág 1 de 1 1 2 »

Analisador de destinos?

Como é bom a "pré-viagem", não? Aquela preparação, a expectativa, os detalhes. Vivendo a viagem, a partir de agora, será seu companheiro do início até o fim de sua viagem. Quer saber como tira visto para a Turquia? Aqui você descobre como. O que fazer para minimizar o risco de extraviar suas malas? Aqui tem. . E muitas outras coisas bacanas. Agora em um só lugar.

Um guia de viagens?

Está próximo da sua viagem. Você já fez aquela pesquisa na internet sobre o local que você vai visitar e pegou uma infinidade de informações e dicas? Aqui será o local daquela dica diferenciada, do detalhe que faz a diferença, das curiosidades culturais interessantes que para muitos passam desapercebidas e, porque não, das tradicionais roubadas que sempre entramos em viagem.

Seu companheiro

Vivendo a viagem é sobre turismo, hotéis, resorts, pousadas, pacotes turísticos, destinos, passagens, câmbio, restaurantes, passeios e tudo mais que envolve uma viagem seja nacional ou internacional. É sobre as roubadas que sempre existem, sobre aquela vontade deliciosa de explorar o desconhecido. É sobre viajar mas, acima de tudo, é sobre viver ou sobreviver em outras cidades.